sábado, 10 de setembro de 2016

Ano de 1975. Registo.


Gilberto Santos e Castro, um dos fundadores dos nossos Comandos, à frente de uma coluna invasora, depois de conquistar Pereira d’Eça, Lubango, Benguela, Lobito e Caxito, 6 de novembro, instala-se no Morro da Cal, diante de Luanda, e prepara, para o dia 9, o bombardeamento da cidade, com canhões G 5, manobrados e armados pelos sul-africanos. Mas a artilharia acaba por não poder disparar, porque os sul-africanos, certamente por pressão norte-americana, desmantelam a culatra dos canhões e retiram a partir do porto de Ambriz. Ver, do autor, Angola. Comandos Especiais contra Cubanos, Braga, Braga Editora, 1978. Aí refere que a força expedicionária apenas possuía uma centena e meia de colaboradores portugueses.