segunda-feira, 5 de setembro de 2016

O terceiro impulso imperial




O terceiro impulso imperial, desencadeado a partir da descoberta oficial do Brasil, em 1500, termina em 1822, com o gesto do Ipiranga, curiosamente liderado pelo próprio herdeiro do trono de Portugal, contra a secura geométrica do jacobinismo, postiço e mercantil, que comandava o revolucionarismo político-militar instalado em Lisboa. E aqui, o modelo, começando pelo estabelecimento do senhorio, através de uma pluralidade de capitanias, consiste fundamentalmente num processo multiplicador orgânico que, a partir do marquês de Pombal, instaura, nesse novo mundo, um novo reino, à imagem e semelhança do ponto de partida. Um processo que atinge o clímax depois de a capital da monarquia se transferir para o Rio de Janeiro, em 1808, com a criação do Reino Unido de Portugal e do Brasil.